sexta-feira, 23 de março de 2012

farsa

a brincadeira do copo amaldiçoava o sono da infância. o copo comprido quebrado hoje na cozinha, já sala, revoga o áudio do filme baixado, alcança a gritaria de uma rua de patos de minas. na terra onde a quaresma ditava os sustos, a apoteose do medo se escondia nas marcas de um sobrenatural desdenhado pelos burburinhos finais das brincadeiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário