quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Aos Que Vierem Depois de Nós dúzias de sono engabelados pelas caixetas e seus destinos de inchaços. no palco travado, as solas sem ruídos.
vigília no amparo dos corpos, costura moída pelo repouso. remoinho sem música.

Nenhum comentário:

Postar um comentário