domingo, 20 de fevereiro de 2011

Um certo aniversário:


Adoro festejos de aniversário. Durante anos celebrei pelas entrequadras e shows covers o aniversário daquele ídolo das precipitações, dos rascunhos viscerais.
Tá, ouvi muito todos os discos, comprei revistas, traduzi letras, quis ter uma banda grunge, quis viajar para Seatle, mas pensando agora, de todos os arroubos da minha relação com o Nirvana destaco a urgência pelos fragmentos do outro desassossegado, lancinante. Na esteira das ausências experimentadas por Kurt, o dialogismo entre compositor, músico e ouvinte escancaram realidades efêmeras da juventude: o amor, os vícios, as quedas e as redenções. 
Continuo desejando em performances mais comedidas o feliz aniversário de todo 20 de fevereiro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário