segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Microconto: Do par

Depois dos bombardeios do quarteirão inventado o pulo do cão desmontava a miniatura do castelo de madeira vermelha. Disse que não, insistiu em falar do lago, do amor subterrâneo, dos exames.
Do par rabiscado no chão salpicado pela velhice poucos conseguiam reconhecê-los. Eram desertores de guerra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário