segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

microconto: Do amor rasgado

Umas tantas carroças. Outros cavalos quase mortos. Depois dos barulhos, das festas explodidas, as manhãs voltaram em execuções mornas de pães, trabalhos, leite e livros.
Do amor rasgado: uma sacola cheia dos vestígios roxos de dramas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário