terça-feira, 5 de outubro de 2010

Microconto: Excomunhão.

O sono raptado daquele que revirava sem espaço para a dor escapar acontecia agora sem força, escuridão, travesseiro. Um dia falei da morte, três dias do medo, da abstinência, dos tratamentos, dos cachorros de rua, das gaiolas, ainda do outro lado a agonia persiste na boca, no vício, na excomunhão dos sonhos delas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário