sexta-feira, 13 de agosto de 2010

"porque foi com médicos e não com doentes que a sociedade começou"

Eu, Antonin Artaud


Passei nove anos num asilo de alienados.

Fizeram-me ali uma medicina que nunca deixou de me revoltar.

Essa medicina chama-se eletrochoque,

consiste em meter o paciente num banho de eletricidade

fulminá-lo

e pô-lo bem esfolado a nu

e expor-lhe o corpo tanto externo como interno

à passagem de uma corrente

que vem do lugar onde não se está

nem deveria estar

para lá estar.



O eletrochoque é uma corrente que eles arranjam sei lá como,

que deixa o corpo,

o corpo sonâmbulo interno,

estacionário

para ficar sob a alçada da lei

arbitrária do ser,

em estado de morte

por paragem do coração.


Antonin Artaud


ARTAUD, Antonin. Surrealismo e revolução. In: WILLER, Cláudio. Escritos de Antonin Artaud. Coleção Rebeldes & Malditos - v. 5. Porto Alegre: L&PM, 1983.

Um comentário: